Reforçada cooperação com a China no domínio da formação profissional

  •   Sex, 23 de agosto de 2019, 7:20
  •   327 Views
  •   0
  •    

O Governo da República da China reassumiu, nesta segunda-feira, em Luanda, a cooperação que tem com Angola, no domínio da formação profissional e da Administração Pública, através de programas para formação de formadores e qualificação de técnicos que trabalham no sector público e empresarial.

O compromisso foi reforçado pelo embaixador da China em Angola, Gong Tao, durante uma visita guiada pelo ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, nas instalações da Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas (ENAPP) e aos Centros Integrado de Formação Tecnológica (Cinfotec) do Talatona e Rangel.

Jesus Maiato disse na ocasião, que o propósito da visita serviu para o embaixador identificar e analisar como o sector se encontra, quer no domínio da formação do sector público e empresarial.

Realçando que a China é uma potência mundial, com um histórico positivo, naquilo que concerne o planeamento estratégia e desenvolvimento. Reconhecendo que Angola tem também programas de planeamento a longo prazo, daí a necessidade dos funcionários públicos e do sector empresarial que ocupam cargos de direcção tenham uma visão além de outras potencialidades.

No domínio da formação profissional, concretamente tecnológica, Jesus Maiato disse que a cooperação com China existe há muitos anos, mas era dominado pela sua mão-de-obra, por isso, é preciso qualificar os angolanos cada vez mais, para poderem contribuir positivamente com o desenvolvimento do país.

O ministro referiu que o Cinfotec vai estabelecer uma parceria com os institutos politécnicos da China, com objectivo de dar aos melhores alunos a possibilidade de fazerem estágios, para potenciar melhor qualidade de formação, bem como permitir a vinda de formadores chineses ao país.

“O objectivo é criar capacidade interna para termos formadores  competentes. O embaixador gostou muito do que viu e no domínio da cooperação vão passar a reequipar e fornecer equipamentos com tecnologias actuais”, disse.

Uma das grandes dificuldades apontadas pelo ministro no sector da formação profissional, é a carência de formadores, mas garantiu que o sistema abriu recentemente um concurso público para o ingresso de mais 300 em todo o país, que dará prioridade com um número significativo ao Cinfotec.

Jesus Maiato referiu que o Cinfotec formou em dez anos cerca de 15 mil pessoas, quer em cursos de curta duração como de longa, num período de 700 a 900 horas.

O ministro explicou que o MAPTSS tem um plano de contingência para minimizar a carência de materiais consumíveis em algumas províncias, já que tem sentido algumas dificuldades em função de alguns cortes que sofreu com o Orçamento Geral do Estado (OGE).

Salientou que o Plano de Acção de Promoção para a Empregabilidade é a esperança da juventude, onde todos estão motivados para que o programa arranque o mais breve possível, entretanto, até a primeira quinzena de Setembro vai ser lançado, na província do Cuando Cubango. “Para melhor transparência houve a necessidade de se desenvolver uma plataforma electrónica, para que as candidaturas sejam acompanhadas por todos”.

O embaixador da China em Angola, Gong Tao considerou na ocasião, que a cooperação vai servir para contribuir para o desenvolvimento sustentável de Angola, tendo em conta que a formação profissional e o melhor funcionamento da função pública, constituem alicerces fundamentais.

No domínio da cooperação o embaixador garantiu ainda que a construção do Cinfotec no Huambo está para breve.

Fonte:

Este poste foi útil para si?

Deixa o seu comentário!


Translate »