PAPE atinge os 11 mil empregos em quinze províncias

  •   Seg, 28 de junho de 2021, 2:46
  •   415 Views
  •   0
  •    

Desde a sua operacionalização, em outubro de 2019, o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE), atingiu, esta semana, a cifra dos 11 mil empregos, de um total de 83 mil que a iniciativa prevê criar até 2022 de forma directa e sustentável.

O referido plano, de iniciativa do Executivo, criado com objectivo de promover a taxa de emprego e a diminuição das assimetrias sociais, já está a ser implementado nas províncias do Uíge, Moxico, Cuando Cubango, Luanda, Huila, Namibe, Bié, Huambo, Cuanza Norte, Malange, Lunda Sul e Norte, Benguela, Cunene e Cabinda.

A semelhança do que acontece noutras partes do país, só nesta última província, Cabinda, o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade  atendeu, nesta fase, 327 jovens que, por sua vez, geraram 641 postos de trabalho, nos diversos projectos que compõem a plano, nomeadamente, programa de microcrédito,  programa de fomento ao autoemprego, distribuição de Kits de trabalho e ainda a execução do processo de avaliação e certificação de competências com a atribuição de  carteiras profissionais.

A execução local do PAPE permitiu igualmente a assinatura de protocolo de estágios profissionais celebrado com empresas locais, com vista a proporcionar bolsas de trabalho para os jovens recém-formados do Sistema Nacional de Formação Profissional e de Educação.

De acordo com a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Dias, a operacionalização do PAPE, no que toca a distribuição de kits, está a ser feita mediante o respeito à especificidade econômica de cada província.

Segundo a governante, a serralharia, mecânica, electricidade, corte e costura e computação são das profissões com maior saída em termos de distribuição de kits.

Conforme explicou, os serviços provinciais do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP), órgão tutelado pelo seu ministério, responsável pela operacionalização do PAPE, tem reportado aos órgãos centrais sobre a necessidade específica de cada região para permitir que os kits sejam distribuídos em respeito às actividades económicas. 

Teresa Dias fez saber que, em todas as províncias beneficiadas pelo PAPE, para a concretização dos objectivos, foram realizadas diversas acções, como a análise e selecção das candidaturas, visitas de diagnóstico aos empreendedores, capacitação técnica de curta e média duração, formação nos domínios do empreendedorismo e gestão de negócios, formalização dos negócios e a inscrição no sistema de Protecção Social Obrigatória  no sentido de permitir que os beneficiários desenvolvam as suas actividades de forma rentável e sustentável.

Fonte: MAPTSS / GTICI

Este poste foi útil para si?

Deixa o seu comentário!


Translate »