SIAC Benguela reabre ao público

  •   Qui, 28 de março de 2019, 5:50
  •   623 Views
  •   0
  •    

O Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão (SIAC) em Benguela está reaberto para o público, desde segunda-feira. Depois uma semana paralisado em consequência das chuvas fortes que se abateram desde o dia 16 deste mês, causando o desabamento da cobertura superior (tecto) e inundações em vários compartimentos.

Com a reabertura da unidade, os munícipes de Benguela podem voltar a tratar os diversos tipos de documentos e serviços prestados pela rede SIAC, que reúne representações de organismos e empresas no mesmo espaço físico, tendo como principal objectivo a prestação de serviços ligados a identificação, registo civil, AGT, viação e trânsito, serviços consulares, comércio, banca e outras áreas.

O director-geral do SIAC, Anselmo Monteiro realçou que depois da inundação e da queda do tecto, houve necessidade de se paralisar os serviços por falta de condições para o atendimento, dado o impacto que a paralisação provocou nos últimos dias aos cidadãos, foi necessário realizar um trabalho árduo para permitir a reabertura dos serviços o mais breve possível.

Neste sentido, frisou, foram feitas obras de restauração, que fez com que os serviços do SIAC na província de Benguela reabrissem ao público num tempo recorde de forma a devolver o expediente e a rotina diária dos utentes.

“Os trabalhos de restauro estavam previstos para um prazo de até três semanas. Mas acautelámos tudo de forma a que os serviços fossem restaurados para uma semana. Fizemos isso porque compreendemos que a nossa missão é prestar um serviço de qualidade e eficiência aos cidadãos”,explicou.

Segundo Anselmo Monteiro, a queda do tecto do SIAC em Benguela, nada tem a ver com a qualidade do edifício que foi construído em obediência aos factores de segurança. Tal como assegurou, o que se verificou é que as constantes chuvas que têm caído naquela província forçaram a cedência do tecto, mas sem prejuízo humano, nem de bens materiais que pudessem comprometer o continuo funcionamento da instituição que anualmente atende perto de sete mil cidadãos naquela parcela do território nacional.

De forma a evitar futuras quedas, o responsável fez saber que fez-se obras definitivas e tendo em atenção os padrões de durabilidade que vão conferir maior resistência à cobertura e segurança aos utentes e aos funcionários que todos os dias escalam a infra-estrutura pública localizada no bairro 70, a cinco quilómetros da cidade de Benguela.

Fonte: GCII

Este poste foi útil para si?

Deixa o seu comentário!


Translate »