Mais de 100 mil cidadãos no país estão inseridos no projecto Vem Comigo com apoio do MAPTSS

  •   Qua, 14 de agosto de 2019, 1:15
  •   842 Views
  •   0
  •    

O Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, num projecto em conjunto com a Associação dos Deficientes Angolanos e o Fundo Lwin, denominado “Vem Comigo”, tem registado cerca de 111.724 pessoas portadoras de deficiência física em todo o país.

O presidente da ANDA, Silva Lopes Etiambulo, quando falava na província do Bengo, município de Canacasala, depois de uma visita de trabalho, na Cooperativa Agropecuária Campos Kimangumbo, dirigida pelo ministro Jesus Maiato, serviu para constatar o funcionamento e fazer oferta de meios de apoio.

De acordo com o presidente da ANDA, Silva Etiambulo, a sua associação tem registado 57.517 associados, sendo que as províncias mais representadas são as do Huambo, Moxico e Cuando Cubango.

O presidente da ANDA realçou que o plano é continuar apoiar todas pessoas com deficiência no país, sobretudo àquelas que nunca tiveram apoio.

O projecto Vem Comigo teve início em 2004 é financiado pelo MAPTSS, supervisionado pela Fundação Lwini, coordenado e executado pela ANDA. Implementado em 12 províncias do país, está focada na formação profissional, criação de cooperativas agrícolas e de prestação de serviços, bem como na implementação de pequenos negócios.

O ministro Jesus Maiato referiu na ocasião, que a visita serviu para testemunhar o grau de organização da associação, sendo que trata da reinserção de pessoas com deficiência física nas suas comunidades onde têm a oportunidade de gerarem renda e ter um nível de vida aceitável.

Jesus Maiato referiu que depois da oferta de uma carrinha com capacidade de transportar mais de três mil toneladas, a associação vai deixar de ter dificuldades em escoar os produtos para os grandes centros de consumo.

O ministro considera que com esta situação resolvida, a cooperativa vai proporcionar mais renda. Procedeu de igual modo, a entrega de inputs agrícolas aos membros da cooperativa, composto por catanas, enxadas, lancis, entre outros instrumentos.

A sexta fase do projecto, em execução, prevê inserir no mercado de trabalho 2.750 pessoas com deficiência, que vai abranger às províncias do Bié, Cuando Cubango, Cabinda, Uíge e Moxico.

Fonte: GCII/MAPTSS

Este poste foi útil para si?

Deixa o seu comentário!


Translate »