Mortes por acidentes de trabalho preocupam a OIT

  •   Ter, 30 de abril de 2019, 9:23
  •   531 Views
  •   0
  •    

Angola registou desde 2018 mais de 1.500 casos de acidentes de trabalho, sendo 450 graves e 50 resultaram em mortes. Os dados foram avançados, em Luanda, pelo Ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Jesus Maiato.

O ministro anunciou que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) regista anualmente, em todo o mundo, cerca de dois milhões e 300 mil acidentes de trabalho, dos quais, mais de 200 mil resultam em mortes, dados que deixam a organização preocupante.

O ministro falava durante a marcha realizada, no último domingo (28), em memória às vítimas de acidentes no trabalho e doenças profissionais e contou com a participação mais de três mil pessoas.

O acto decorreu sob o lema “Segurança, Saúde e o Futuro do Trabalho”, a caminhada começou na escola Anangola e percorreram a Avenida Alameda Manuel Van-Dúnem até ao Largo do Primeiro de Maio.

Jesus Maiato disse que os custos com a reparação de acidentes de trabalho representam quatro por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no mundo. Por isso, reitera a necessidade de se reduzir estas fatalidades para que estes custos sejam canalizados a outros investimentos.

A marcha decorreu em quatro províncias do país, nomeadamente, Luanda, Lunda-Sul, Malanje e Namibe, serviu para chamar atenção dos empregadores sobre a necessidade de proporcionarem melhores condições de trabalho, de forma a prevenir acidentes de trabalho, que tanto preocupa a OIT.

Estiveram presentes na marcha representantes de vários departamentos ministeriais, entre empresas públicas e privadas, associações sindicais e a sociedade civil.

Fonte: GCII / MAPTSS

Este poste foi útil para si?

Deixa o seu comentário!


Translate »